Jornalistas se mostram otimistas em relação ao futuro

30 jul

Texto: Clara Roman (2˚ ano – ECA-USP) / Fotos: Germano Assad

Palestrantes dando um panorama do jornalismo investigativo no mundo

Palestrantes Lowell Bergman, Rosental Alves, Marcelo Beraba e Sharon Tiller,

Diferentemente do que acontece em outros países, o jornalismo brasileiro está numa fase positiva. Revistas, jornais e TVs do país recebem cada vez mais anúncios e possuem um público em expansão. Assim, permanecem como negócios lucrativos aos seus donos. Ao mesmo tempo, Estados Unidos e  países da Europa sofrem uma grave crise dos meios de comunicação tradicionais, uma vez que seus leitores procuram se informar pela internet.

Rosental Calmon Alves, Marcelo Beraba, Sharon Tiller e Lowel Bergman discutiram as novas formas que o jornalismo tem buscado para sobreviver e abrir novos espaços, na mesa “Panorama do jornalismo investigativo no mundo”.

Rosental é brasileiro, mas trabalha nos Estados Unidos desde 1996. Ele se mostrou bastante otimista em relação ao jornalismo no mundo e aos novos meios. Segundo ele, vive-se uma nova realidade de comunicação e é necessário adaptar-se a ela. A ProPublica, por exemplo, é uma associação sem fins lucrativos que pratica o jornalismo investigativo. Bancada pela Fundação Sandler, busca histórias de relevância pública que nem sempre são contadas pelos jornais convencionais.

Sharon Tiller é integrante da Frontline, que produz documentários jornalísticos sobre histórias também diferenciadas. Parceira

Público lotou o auditório

Público lotou o auditório

da ProPublica, a Frontline possibilita uma maior participação de jornalistas mais jovens e variados. Veiculada pela internet, a “revista” realiza matérias nos mais diversos continentes. Durante a palestra, Sharon projetou um documentário recente sobre os créditos de carbono no Brasil, que demorou um ano para ser produzido.

O moderador Marcelo Beraba, editor-chefe de O Estado de S.Paulo, comentou um pouco da realidade da mídia brasileira. O caso da censura prévia do Estadão gerou reflexões acerca da legislação brasileira e de seu caráter nem sempre democrático. Há um ano, o jornal foi proibido de publicar matérias relacionadas a ilegalidades cometidas por Fernando Sarney, filho do ex-presidente José Sarney. Os recursos não foram julgados ainda. “Censura prévia é inconstitucional,”disse Rosental Calmon Alves, sob aplausos da platéia.

Segundo Lowell Bergman, nos Estados Unidos, ninguém pode proibir a publicação de textos. Depois que a matéria sai no jornal, o jornalista e a empresa estão sujeitos a processos. A censura prévia inexiste. Ele contou que o jornalismo investigativo teve seu desenvolvimento nos últimos quarenta anos. Antes disso, essa modalidade era “coisa de freelancer”. Bergman ficou famoso devido ao filme O Informante, que narra a história de como o repórter conseguiu descobrir crimes da indústria de tabaco. Trabalhou durante 14 anos no Sixty Minutes, um dos principais programas da CBS News.

Clique no nome da palestra para fazer o download da apresentação, e no nome do(s) palestrante(s) para visualizar o(s) currículo(s):

Panorama do jornalismo investigativo no mundo

Sharon Tiller

Marcelo Beraba

Rosental Alves

Lowell Bergman

O 5º Congresso Internacional de Jornalismo Investigativo é uma realização da Abraji e da Universidade Anhembi Morumbi, com o patrocínio de Claro e Tetrapak, o apoio do Centro Cultural da Espanha em São Paulo, do Knight Center for Journalism in the Americas, do Open Society Institute, da Ogilvy, do Consulado Geral dos Estados Unidos em São Paulo e a parceria do Fórum de Acesso a Informações Públicas, do Centre for Investigative Journalism , da UNESCO e da OBORÉ.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: