A desmistificação da cobertura jornalística em Brasília

31 jul

Texto: Rafael Carneiro da Cunha / Foto: Marjorie Niele

Ao se falar na cobertura da política na capital federal, criam-se muitos mitos entre jornalistas e estudantes de jornalismo. Para desmistificá-los, Kennedy Alencar e Alon Feuerwerker deram uma palestra sobre como é fazer cobertura política em Brasília no 5º Congresso Internacional de Jornalismo Investigativo.

Alencar, repórter especial da Folha de S.Paulo e apresentador da Rede TV, contou que a cobertura da política nacional já teve diversos focos dependendo da época – como o viés econômico da década de 80 e do início dos anos 90. Além disso, deu dicas de como se relacionar com a fonte. “A fonte deve ser de confiança. Muitas vezes ela pede anonimato ou fornece informações em off. Isso dá uma segurança a ela”, afirmou.

Palestrante Alon Feuerwerker

Palestrante Alon Feuerwerker

Alon Feuerwerker, colunista do jornal Correio Braziliense também falou da importância de fontes confiáveis para o jornalista e da escolha delas para a reportagem. “Você não pode depender da informação somente de autoridades. É até melhor falar com pessoas que não ocupam um cargos tão alto, pois elas não escondem tanta informação”, disse.

Os dois ainda ressaltaram o problema de que muitos jovens jornalistas que desejam cobrir política querem fazer reportagens de bastidor e investigar esquemas. Eles acreditam que não é só disso que se sustenta o jornalismo político. “Faço uma analogia com o futebol. Não adianta cobrir somente os bastidores e não cobrir o jogo”, disse Feuerwerker.

Clique no nome da palestra para fazer o download da apresentação, e no nome do(s) palestrante(s) para visualizar o(s) currículo(s):

Cobertura política em Brasília

Alon Feuerwerker

Kennedy Alencarkennedy.alencar@grupofolha.com.br

O 5º Congresso Internacional de Jornalismo Investigativo é uma realização da Abraji e da Universidade Anhembi Morumbi, com o patrocínio de Claro e Tetrapak, o apoio do Centro Cultural da Espanha em São Paulo, do Knight Center for Journalism in the Americas, do Open Society Institute, da Ogilvy, do Consulado Geral dos Estados Unidos em São Paulo e a parceria do Fórum de Acesso a Informações Públicas, do Centre for Investigative Journalism , da UNESCO e da OBORÉ.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: