Arquivo | Correspondente Multimídia RSS feed for this section

Jornalista com mil e uma utilidades

30 jul

Texto: Danielle Denny (1º ano – Mackenzie) / Foto: Lucas Frasão

Bruno Garcez (ICFJ)

O correspondente é, muitas vezes, um profissional que acumula diversas funções: escreve ao mesmo tempo para blogs e redes sociais, filma, inclusive a si próprio, e edita o material sozinho em tempo recorde. Bruno Garcez, ex-correspondente da BBC Brasil em Londres, explica que mesmo as equipes de grandes emissoras são enxutas. A equipe da BBC Brasil, por exemplo, tem 10 jornalistas aqui, 10 em Londres e 1 correspondente em Washington.

Bruno Garcez destacou a facilidade que os blogs proporcionam ao correspondente nacional e internacional multimídia, propiciando mais liberdade para escrever de forma irônica e também para fugir do “agendão” seguido pelos jornalistas dos grandes meios de comunicação brasileiros.

Mencionou, ainda, o twitter como possibilidade de meio para fragmentar conteúdo e, além disso, conseguir mais impacto com frases de efeito que ficariam perdidas no meio do texto jornalistico. O skype também foi apontado como ampliador de possibilidades, pois viabiliza entrevistas e entradas ao vivo com menos burocracia e empecilhos técnicos. Redes socias, da mesma forma, facilitam encontrar novas fontes, por exemplo.

A principal ressalva é a falta de tempo para editar áudio e vídeo, a fim de cumprir a agenda apertada para envio do material às emissoras brasileiras. Os conteúdos para a Internet precisam ser enviados em tempo real, mas os áudios e vídeos têm um tempo maior de preparação e envio. Várias matérias são feitas para internet, TV e rádio ao mesmo tempo.

 Clique no nome do palestrante para visualizar o currículo:  

Correspondente Multimídia

Bruno Garcez

O 5º Congresso Internacional de Jornalismo Investigativo é uma realização da Abraji e da Universidade Anhembi Morumbi, com o patrocínio de Claro e Tetrapak, o apoio do Centro Cultural da Espanha em São Paulo, do Knight Center for Journalism in the Americas, do Open Society Institute, da Ogilvy, do Consulado Geral dos Estados Unidos em São Paulo e a parceria do Fórum de Acesso a Informações Públicas, do Centre for Investigative Journalism , da UNESCO e da OBORÉ.